"O Portal Top em Notícias do Sul”

SAÚDE: Fala Dr. Figueiredo Segundo pesquisa nacional, brasileiro desconhece a hepatite C?

16/12/2013 06:38

O brasileiro desconhece a hepatite C e tem uma percepção errada sobre a doença, segundo revela pesquisa divulgada nesta terça-feira durante o Congresso Brasileiro de Hepatologia, em Salvador. De acordo com os dados, levantados pelo Instituto Datafolha, 51% dos brasileiros não sabem dizer espontaneamente o que é hepatite C. O estudo mostra ainda que 86% dos entrevistados concordam que a maioria das pessoas desconhece a doença e seus efeitos.

A falta de informação fica clara quando 24% das pessoas pesquisadas disseram conhecer uma vacina contra a hepatite C e 7% dos entrevistados afirmaram já terem sido vacinados contra a doença - desconhecendo o fato de que não existe imunização. Atualmente, somente as hepatites A e B possuem vacina.

De acordo com a Sociedade Brasileira de Hepatologia, dois milhões de brasileiros têm a doença, responsável por mais de 70% das mortes entre todos os tipos de hepatites ocorridas na última década no Brasil. Segundo o Ministério da Saúde, a hepatite C foi responsável por 14.873 mortes nos últimos dez anos.

A pesquisa, realizada pelo Instituto Datafolha, investigou qual a percepção da doença em 11 cidades brasileiras. As cidades pesquisadas foram: Belém, Belo Horizonte, Curitiba, Manaus, Recife, Rio de Janeiro, Salvador, São Paulo e Campinas. No total, foram ouvidas 1.137 pessoas, com mais de 18 anos, pertencentes a todas classes econômicas. A pesquisa foi realizada entre 8 e 10 de junho.

Teste — Apesar de 62% dos entrevistados acreditarem que a hepatite C é uma doença altamente contagiosa, 84% deles disseram nunca terem feito um teste para detecção da hepatite. "O teste deveria ser solicitado por qualquer médico, mas não é o que acontece", diz Raymundo Paraná, presidente da Sociedade Brasileira de Hepatologia, segundo ele, 85% dos municípios não têm centro de referência para o tratamento de hepatites virais e falta informação correta sobre a doença.

O sintoma mais citado, segundo a pesquisa, é a cor amarelada da pele e dos olhos (19%). Paraná explica que essa é uma visão equivocada das pessoas, já que nem sempre esse sintoma aparece em pacientes com hepatite C. Do total, 21% das pessoas associam a relação sexual como uma das principais formas de contágio da doença - outros fatores como transfusão de sangue, uso de seringa não descartável e instrumento de tatuagem ou piercing não esterelizado são mais importantes.

Em geral, a hepatite C não se manifesta de forma grave e a pessoa infectada não apresenta sintomas durante muitos anos. Sabe-se que é uma doença que evolui de forma lenta: em média, leva-se 20 anos para o aparecimento das consequências e a progressão é pior em pessoas obesas e dependentes de álcool. Cerca de 20% dos pacientes podem desenvolver cirrose e câncer de fígado. "É uma doença silenciosa que demora décadas para ser diagnosticada", diz Paraná. "Não devemos procurar por sintomas, a prevenção tem que ser feita a partir de rastreamento".

Fonte: Abril \ Dr. Figueiredo

Post. Eloídes Nunes.

Contato

TopSul Notícias - O Portal Top em Notícias do Sul!

topsulnoticias@gmail.com
topsulcrissiumalrs@gmail.com

Cel.: (55) 9.9148-8420

Pesquisar no site

-

www.topsulnoticias.com.br - TopSul Notícias.

© 2013 - 2017 - Todos os direitos reservados.