"O Portal Top em Notícias do Sul”

CULTURA: Ser gaúcho é um delito - RS

17/09/2013 16:58

Ser gaúcho é um delito, em 1872, escreveu José Hernández em seu famoso Martin Fierro. E de fato era.

Qualquer piá sabe que os “ gaúchos” eram mestiços sem lei, sem chefe e que viviam longe da ordem e da polícia, troteando ou vagando sem destino e sem saber se estavam no Brasil, Cisplatina ou Argentina.

Com o tempo, os grandes proprietários de terra os consideraram desordeiros e a própria sociedade sul-rio-grandense acabaria por marginalizá-los ainda mais se posicionando favorável a que fossem perseguidos pela polícia.

E sem floreios e bajulações o fato é que a Revolução Farroupilha serviu mais para dimensionar e estruturar ainda mais o poder de grandes estanceiros (caramurus e farroupilhas) não mudando patavina alguma na vida dos trabalhadores livres e dos escravos.

Os “gaúchos” na Revolução foram usados pelos grandes proprietários naquilo que tinham de melhor: suas habilidades de guerreiros e conhecimentos geográficos da pampa.

Tendo fama de bons lutadores (com facão e lança) os estanceiros arregimentaram os “gaúchos” para as guerras ou combates que tramavam fazer diante dos seus descontentamentos particulares.

O Governo Imperial vinha deixando esses poderosos descontentes e seus interesses ou eram negados ou prejudicados.

Lideraram então escravos, trabalhadores livres e “ gaúchos” para travar escaramuças que ao final só serviriam para ( logicamente) ampliar suas propriedades, seu poder: com o domínio da produção e valorização do charque e até mesmo do contrabando.

Os líderes garantiram suas propriedades ( em termos de legitimação) e elevaram o seu poder, prosseguindo uma concentração de terras ainda maior que a anterior a dita Revolução. Aos “gaúchos” restou o discurso ideológico do “ gaúcho herói”, ou seja: que foram destemidos, valentes, superiores e um exemplo que deve ser eternamente recordado.

O historiador Torronteguy, sobre o episódio Farroupilha escreveu: “ do ponto de vista material foi pura ilusão. Essa ideologia ultrapassou o século XIX e chegou até o presente travestida de um outro nome, o tradicionalismo, servindo para cultuar os costumes de antepassados, mas, no fundo escondendo a perversa troca que houve: em vez de dar terras aos trabalhadores e fazer uma verdadeira justiça social, os poderosos proprietários deram a ilusão de que eles ( os gaúchos) foram “ poderosos guerreiros” e que jamais a posteridade os esqueceria.

 A Revolução Farroupilha não foi nada semelhante ao mito criado por alguns historiadores românticos e que prossegue sustentado no “rito bonito e sedutor” daquilo que se denomina de tradição.

De qualquer forma, ao contrário do apregoado por Juremir Machado, o melhor mesmo é continuar acreditando num passado idealizado no campo, onde as pessoas são sempre honestas, sinceras, valentes e hospitaleiras.

É isso que ensinarei aos meus filhos.

Viva os heróis Farroupilhas! Viva a Revolução! Viva o “ gaúcho” herói !

Fonte: Luís Fernando Arbo

Post. Eloídes Nunes

Contato

TopSul Notícias - O Portal Top em Notícias do Sul!

topsulnoticias@gmail.com
topsulcrissiumalrs@gmail.com

Cel.: (55) 9.9148-8420

Pesquisar no site

-

www.topsulnoticias.com.br - TopSul Notícias.

© 2013 - 2017 - Todos os direitos reservados.